segunda-feira, 25 de julho de 2011

NEM A MIM


Todas as coisas que tive me ensinaram algo.
Elas sumiam, outras as sucediam.
Até também sumir para o advento do novo.
Sempre novo.
E todas elas, e cada qual, com o seu ensinamento próprio.
Percebi então que não é atrás das coisas que vivemos:
É atrás dos ensinamentos que elas nos proporcionam.

***

Eu já tive um celular tijolo, um boneco do He-man. Já tive 3 Fuscas diferentes, já tive um primeiro violão.
Eu já tive camisetas de caveiras desenhadas, coturnos de quartel.
Foram meus diversos livros, discos que nem lembro mais.
Emprestei pra quem não lembro a mais importante revista, o mais confortável chapéu.
E me pertenceram também tantas verdades que por ora não me cabem mais.
E a cada minuto sou outro... e é impossível não ser assim.
Perco tudo, pois sou vivo e tenho muito pouco.
Nem a mim.
Nem a mim.

2 comentários:

Vani disse...

Faz parte do ser generoso...te doas sempre. E o que te parece pouco aos teus amigos é sempre visto como aquilo que é: um tesouro.

Afago no coração amigo!

Kelly Géssica disse...

É tão reconfortante essa compreensão de que no fundo não temos nada, por que estamos o tempo todo querendo ter tudo e nem percebemos que não estamos aqui para querer o que não temos e sim para viver o que é nosso.

Amo seu blog!