quinta-feira, 22 de agosto de 2013

MARS ONE


Fiquei sabendo dum projeto da empresa holandesa Mars One, do alemão Bas Landsdorp, que consiste em um interessante concurso que contempla os escolhidos com uma viagem só de ida a Marte, o planeta vermelho.
Segundo a ideia, serão selecionados 24 "felizardos", homens e mulheres, que terão a missão de cultivar seus alimentos, reciclar a água congelada marciana e se reproduzir, que pra mim é a mais simples e prazerosa de todas elas, missões.

***

Diz o projeto que os contemplados passarão por treinamento físico e psicológico e que os astronautas ex-terrenos já sairão daqui casadinhos da silva. Ou seja... o cara paga taxa de inscrição, sai pra uma superaventura dessas, pra nunca mais pisar no solo da Terra, passa por mega-adversidades espaciais, tem que viver pra sempre dentro daquelas desconfortáveis roupas astronáuticas com capacete de aquário e, além de tudo isso, já vai levar mulher de casa.
Tem que estar muito de cara com a vida pra aceitar uma indiada destas.

***

Aí o Paulão chega em Marte.
Viagem longa, descabelado.
Mulher bafuda e brava, com ciúme da astronautinha bonita.
A paisagem, pedras vermelhas em todas as direções.
E uma casinha robótica, com água de mentira e comida enlatada.
Já na primeira semana, sem notícia do Corinthians, o Paulão está astronauticamente chateado.
A Terra lããããã longe, aparece de vez em quando no céu.
Não chove.
Não venta.
Não tem feira de domingo nem cerveja na praia.
O dinheiro pago pelo alemão não tá com ele, lógico, pois ali não existe banco nem valores agregados nem preços.
O dinheiro ficou na Terra, com a ex e o seu novo macho dominante.
Passam-se dias, meses, anos sem fazer a barba.
De repente, barulhos cósmicos.
É uma nova tripulação chegando...
Naves pousando categoricamente.
[o pouso eterno.

Delas, começam a sair pessoas que atraem a curiosidade dos antigos astroloucos terráqueo-marcianos.
Brancos, pretos, índios e americanos.
Os novos turistas pra sempre são de várias nações, sexos, religiões...
Mas entre eles, Paulão reconhece alguém sob o escafandro espacial.
É sua sogra, e ela não veio pra passear!

***

E se já houver marcianos lá, à espera dos novos habitantes?
Haverá disputa territorial.
Troca de casais, adultério, miscigenação.
Vai surgir um povo híbrido, que se dividirá em castas.
Uma nova pirâmide social, dominada pelo clero e pela monarquia.
Inventarão uma moeda de troca nova, o $olar!
Criarão bancos e mercados.
Em breve, ninguém mais precisará das antigas roupas e oxigênio da Terra.
Em várias gerações, os marciominídeos nem mais lembrarão da existência do planeta azul.
Vão achar que vieram do macaco-marciano.
Que veio do fogo.
Que veio do sol.
E, em pouco tempo, com Marte em ruínas, buscarão habitar um novo planeta vazio.
Saturno, talvez. Quem sabe Urano...
E terão uma leve sensação
[uma leve e certeira sensação

De já terem passado por isso em algum momento.

Um comentário:

edílson rogério Keiber disse...

Ma que tal este poeta , além de tudo ainda tem tempo para estas pérolas. Gratidão.