sábado, 3 de abril de 2010

COCEIRA DE PULGA


Estive pensando acerca do enigma do encerramento de ciclo e o ano referente de 2012, que está sendo tão falado ultimamente. Eu, particularmente, creio que não há nada fora do lugar e que as transformações planetárias são cíclicas e tão exatas que, mesmo que não houvesse uma lata ou pet sequer poluindo o mundo, mesmo que não houvesse hiperaquecimento e crise biosférica, mesmo assim, um grande evento galático seria inevitável.

***

Contudo, depois de algumas leituras, cheguei a James Lovelock, ambientalista e pesquisador independente norte-americano, criador da teoria de Gaia. Nela, Lovelock diz que a Terra é um hiperorganismo que se auto-regula. Assim sendo, ela suportará a ação humana até o ápice (que, embora estejamos perto, ainda não alcançamos) e, então, sacudirá as pulgas, ou seja, antes de morrer, a Terra reagirá. E aí está uma das explicações para a fenomênica realidade natural e planetária que estamos percebendo, com grande movimentação vulcânica e tectônica, com secas, furacões, tornados e maremotos. É o modo da Terra dizer que está chegando a hora...
Hora de quê? De haver uma mudança do nosso comportamento para com ela...

***

Mas resiste uma questão: se haverá uma grande e cósmica transformação, de que adianta eu mudar minhas posturas em relação aos outros, à poluição, ao respeito mútuo, à cordialidade, ao fraternalismo universal e tantos outros?
Vejo que a resposta é exatamente o que a Terra está dizendo... ela quer gente boa no mundo, gente sutil, com uma percepção colaborativa e não competitiva; construtiva e não destrutiva; fraternal, não bélica... gente que perceba que a Terra não existe para que tiremos o máximo proveito dela... Só que assim, na boa na boa, nenhuma mudança em termos globais acontecerá com a mente coletiva humana. O homem-social nunca abrirá mão de suas tecnologia e indústria famigeradas, de seus métodos organizativos viróticos... Por isso é preciso o colapso total, as megacatástrofes naturais... Elas farão a seleção de quem seguirá a grande brincadeira terrena, criando o novo, sendo um com o todo, sendo o ser que a perfeita harmonia modelará...

***

É preciso que caiam as ruínas para que nasça a grama.

Um comentário:

Frases e Imagens disse...

Uauuuuuuuuu
Bom, nunca li nenhuma tese do...tive que voltar pra ler o nome do cara...Lovelock, então, mas posso te garantir que já havia pensdo assim, a terra ta gritando, as camapanhas de artistas ficam só na TV...é preciso algo mais. Espero estar cooperado com ele, nosso palneta...Adorei seu poste!
Bjs
Mila