quinta-feira, 29 de abril de 2010

LOUCURA URGENTE


No kin 19, fui com a Nena e o Johan comprar folhas e lápis pro meu pequeno artista fazer seus trabalhinhos. Enquanto isso, um som retoava do calçadão da XV, no centro de Pel. Beto e Izar, um casal de músicos locais, tocavam, na companhia de outros talentos, um samba do Ary Barroso, famoso entre as bocas tupiniquins...

Isto aqui ô ô
É um pouquinho de Brasil iá iá
Deste Brasil que canta e é feliz
Felizzzz
Feliiiiizzzzzzzz


E as pessoas lá, rodeando, escutando a música, terapia da alma, linguagem universal... Mas paradas, numa quietude paradoxal e deveras robótica...
Enquanto isso, apareceu o Dançarino (só que dessa vez ele deixou a boneca em casa e dançava com uma muher de verdade, carne e osso, sério!, e ainda marcava o ritmo do samba com o indicador e o polegar as baixas-costas dela) e, ao lado dele, um louco, que dança sempre, em todos os lugares, sozinho, esbanjando euforia e soltando esquizofrenia pelos poros. Na platéia, outro louco, o amigo do Saddam (já falei que Pelotas é a capital mundial dos loucos?), com uma sacola plástica no pé, bailava dois-prá-lá-dois-prá-cá, parecendo um samba-daimista.
O fato é que além dos loucos (e do Dançarino, claro), ninguém mais dançou. Música linda... qualidade sonora... dia de sol... e nenhuma pessoa deixou que o som fluisse na alma... todas duras, tesas, olhando o relógio. E os loucos lá... parecia que seus olhos (pequenos e divagantes olhos) iriam explodir de tamanha euforia... emoção.

***

Pensei, com o Johan na garupa: o que é ser louco? Quem é normal? Eu, que também não dancei, num jugamento egóico de pagar mico ali, no centrão da cidade... não consegui soltar aquela euforia momentânea, deixá-la me dominar... sou normal ou louco?
Se isso for normalidade, eu quero uma loucura pra mim.
Urgente!

Um comentário:

Pensamentos da Mila disse...

Vivemos em um mundo que só podemos saltar de alegria no carnaval ou em datas festivas, isso neste mundo é normal...Eu considero anormal...
Devemos ser livres por dentro e por fora em qualquer data...Daí me pergunto; eu dançaria?rs
A tal mania de deixar os pensamentos, a moda, e tudo mais nos dominar é contagioso, preciso me curar...
Belo poste, muito reflexivo..

Bjs

Mila